Bandeiras mais bonitas de Capitais brasileiras

Numeração por ordem alfabética do nome da capital

1. Bandeira de Belém, Pará
Bandeira do municípiode Belém
A bandeira de Belém, um dos símbolos desse município, foi instituída pelo decreto nº 6.855, de 3 de janeiro de 1971. Ela consiste de um retângulo azul sobre o qual pousa o brasão de Belém, que foi criado em 1625 por iniciativa do segundo Capitão-Mor do Pará, Bento Maciel Parente, com provimento de D. Luís de Sousa. Antes fora esboçado o escudo de Belém por Pedro Teixeira, Aires de Sousa Chicorro e Francisco Baião de Abreu, enquanto na administração do intendente Antônio Lemos saiu uma publicação oficial a respeito.

Significado
Os dois braços: O primeiro braço sustenta uma cesta de flores e o segundo braço uma cesta com frutas, significando que a cidade está em terras extremamente férteis e por isso escondem, com mais segurança, na sua exuberante flora sempre fluorescente e frutífera. Se houver braços fortes e corajosos, tudo é capaz de dar... Por baixo dos braços encontramos a legenda, “VER EAT AE TERNUM e TUTIUS LATENT”, alusivos ao rio Amazonas onde tudo é verduras e maravilhas e ao rio Tocantins pela posição escondida as vistas dos exploradores.

O sol: O sol poente lembra a hora que Caldeira lançou fundo no local próximo ao que escolhera para dar fundamento à sua conquista e tem por baixo uma faixa em latim “RECTIOR CUM RETROGADUS”, para dizer que aguardou a aurora do dia seguinte, como foi sempre costume dos conquistadores. portugueses , para fazer o seu desembarque. Diz ainda o sol, respeito à latitude da cidade que recebe os eflúvios do equador, daí a constância do sol que tanto derrama seus raios, para fazer de Belém, uma cidade morena.

Os animais: O boi e o asno, existe no escudo um prado, onde pastam uma mula e um boi, que estão olhando espantados para o céu. Os dois animais de cabeça erguida como quem admira algo no céu que é estrela do Messias, pois os mesmos foram colocados no escudo como uma espécie de evocação de Belém da Judéia para a nova Belém do extremo norte do Brasil. Ao lado dos animais está a frase “NEQUAQUAM MINIMA EST”, significando o nome da cidade de Belém da Judéia, que Castelo Branco escolhera para a capital de sua conquista, e da qual dissera o Profeta que não seria a menor de todas. A posição em que se acham os animais

O castelo: Encerra uma alusão ao poderio das armas portuguesas, assim como representa a imagem da princesa que espelha com encantos inauditos nas águas da baía do Guajará, a estrada que vai ao castelo mostra o caminho que devem seguir todos os sucessos da Caldeira, isto é, a obediência aos superiores. O castelo possui um colar de pérolas distintivas de nobreza, por sobre a porta principal, do qual prendem as quinas portuguesas com cinco castelos de ouro em escudo azul, para dizer que Caldeira de Castelo Branco, provinha de família nobre.

2. Bandeira de Campo Grande, Mato Grosso do Sul

Bandeira oficial do município de Campo Grande. Foi oficializada em 1967.

Simbologia e elementos
O brasão, ao centro, simboliza o Governo Municipal.
O retângulo, a cidade de Campo Grande.

As faixas simbolizam o Poder Municipal, que se irradiam, como os raios do sol, para todos os quadrantes e as oito figuras geométricas, as regiões rurais do Município.

3. Bandeira de Curitiba, Paraná
A Bandeira de Curitiba é um dos símbolos oficiais do município, ao lado do brasão e do hino. Foi oficializada por força da lei ordinária municipal nº 2.993, de 11 de maio de 1967. É possível reproduzir a bandeira de Curitiba em bandeirolas feitas de papel em efemérides comemorativos, sempre em obediência aos seus módulos e suas cores.

É uma tricolor aleatória com verde, branco e vermelho com o brasão municipal colocado no centro do retângulo. A bandeira atual foi adotada em 1967, desde a criação da primeira bandeira municipal cinco anos antes. A atual lei dos símbolos municipais, que regulamenta o uso da bandeira municipal encontra-se em vigor desde a mesma época da adoção.

De acordo com as regras vexilológicas, a bandeira de Curitiba é reproduzida com as dimensões oficiais que adota-se para a bandeira nacional, sendo considerados sete módulos de altura por dez de comprimento.

Simbolismo

Cada um dos elementos e cores da bandeira possui um significado próprio:
Brasão colorido: governo municipal, composto pelos poderes executivo e legislativo, além da comarca.

Retângulo branco: capital do Paraná e cidade-sede do município.

Faixas colaterais e cardeais, brancas com frisos vermelhos: o poder municipal, o qual é expandido na totalidade do território municipal.

Oitavas verdes: propriedades rurais que existiram no território municipal à época da criação da bandeira.

4. Bandeira de Fortaleza, Ceará
A Bandeira de Fortaleza é um dos símbolos oficiais do município de Fortaleza, estado do Ceará, Brasil. Foi idealizada por Isac Correia do Amaral e adotada em 11 de novembro de 1958.

Seu desenho consiste em um retângulo de proporção largura-comprimento de 7:10, sendo composta de um campo branco sobreposta por uma Cruz de Santo André em azul. O azul é igual ao da bandeira nacional, bem como as proporções do pavilhão. No centro encontra-se o brasão municipal, projetado por Tristão de Alencar Araripe. As medidas devem sempre seguir a proporção de 20 por 14 módulos. As faixas azuis em diagonais terão largura de dois módulos e meio formando ângulos retos nas extremidades da bandeira de lado igual a um módulo e oito décimos, aproximadamente. No centro, as dimensões do brasão são: seis módulos e meio de largura máxima e sete módulos de altura máxima. Em 2013,com o início do mandato do prefeito Roberto Cláudio, a bandeira da cidade recebeu modificações, como a inclusão do atual brasão do município.

Usos
Os usos assim como as dimensões são regidos pela Lei n° 1.316 de 11 de novembro de 1958.O hasteamento da bandeira é obrigatório durante expediente e feriados no Palácio Iracema, nos edifícios da Câmara Municipal, autarquias do município e no tribunal de contas da Prefeitura.

5. Bandeira de Goiânia, Goiás

A Bandeira de Goiânia com as cores verde, branco e vermelho, representa a capital do estado brasileiro de Goiás.

Descrição
É formada por um retângulo verde, dividido por oito faixas brancas carregadas de sobre-faíscas vermelhas, dispostas duas a duas, no sentido horizontal e vertical.
No centro, em retângulo branco, aplicado ao brasão: escudo do 1º estilo introduzido em Portugal trazido para o Brasil.
No escudo: coroa mural, com oito torres, sendo cinco visíveis. De um lado, o bandeirante lembra o bandeirante Anhanguera; do outro, o garimpeiro. Na faixa maior, a frase: "Pela Grandeza da Pátria". O Brasão representa o Governo Municipal.

Significados
o verde do escudo simboliza a vitória, a honra, a cortesia civilizada, a alegria e a abundância.

a flor-de-lis, no centro do escudo, é símbolo do poder.

a faixa estreita e ondulada, na frente, simboliza o córrego Botafogo, às márgens do qual foi construída Goiânia.

6. Bandeira de Maceió, Alagoas

A bandeira de Maceió é um dos símbolos oficiais do município de Maceió, capital do estado brasileiro de Alagoas. Foi sancionada em 29 de maio de 1962 pela Lei Municipal nº 868. Seu desenho buscar reforçar as cores e formas do brasão de armas criado por Théo Brandão em 1957.

Consiste em um retângulo de proporção largura-comprimento de 7:10. A bandeira é dividida em três faixas horizontais de igual largura na seguinte sequência, a partir de cima: verde, branco e azul. A faixa branca busca representar a restinga característica da orla de Maceió, com suas areias brancas. A divisa ondulada na cor vermelha, simbolizando o Riacho Salgadinho, que corta grande parte da cidade, que possui um aspecto barrento resultante do transporte de aluviões de suas margens. As faixas nas cores verde e azul aludem ao Oceano Atlântico e à Lagoa Mundaú, respectivamente. No centro há um disco branco contendo o brasão de armas do município.

7. Bandeira de Manaus, Amazonas

A Bandeira de Manaus é um dos símbolos oficiais do município brasileiro supracitado, capital do estado do Amazonas. Foi criada pela Lei Municipal de Manaus nº 718 de 20 de novembro de 2003. É um Pano Retangular de cor Bege, com o escudo municipal no centro.

A cor bege representa o Rio Amazonas, que tem em sua cor barrenta a maior identidade do povo manauara. O escudo (brasão), instituído por Lei, representa a cultura e história do povo manauara.

8. Bandeira de Recife, Pernambuco

Bandeira da Cidade do Recife
A Bandeira do Recife foi instituída pela Lei 11.210 de 15 de dezembro de 1973. O desenho se baseia em três colunas verticais - duas laterais de cor azul, e a central, branca -, lembrando a bandeira do Estado de Pernambuco, o céu e a paz. Em cada faixa, há símbolos que se referem a fatos importantes da história recifense:

Estrela (coluna azul da esquerda) - representação da República Brasileira, que se originou em Pernambuco, através do Movimento de 1817.

Frase "Virtus et Fides" (coluna central) - "Força e Fé", ideais almejados pelo ser humano.

Leão neerlandês (coluna central) - coroado, se refere ao escudo de armas de João Maurício de Nassau e ao apelido recebido pelos pernambucanos ("Leão do Norte"), alusivo à história de lutas do povo do Estado.

Cruz (coluna central) - representa a colonização portuguesa e a chegada do cristianismo no Brasil.
Sol (coluna azul da direita) - simboliza a presença marcante do Sol nas terras da cidade.

9. Bandeira do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro

A Bandeira do município do Rio de Janeiro consiste em um retângulo branco com duas faixas diagonais azuis se entrecruzando, com o Brasão da cidade, na cor vermelha, no centro.

O seu desenho básico, pouco modificado até os dias atuais (à exceção do período em que se tornou estado da Guanabara – 1960 até 1975 –), foi oficializado pelo decreto 1.190 de 8 de julho de 1908.

Através do Decreto nº 29.526 de 30 de junho de 2008 foi institucionalizado o dia 8 de julho como o Dia da Bandeira da Cidade do Rio de Janeiro.

Significado tradicional ou histórico:
O azul e o branco simbolizam a origem Portuguesa da Cidade. São as cores tradicionais da Monarquia Portuguesa, adotado desde a criação do Condado Portucalense, em 1097. Somente após o golpe militar que instaurou a república em Portugal, em 5 de outubro de 1910, que as tradicionais cores foram modificadas para o verde escuro e escarlate para a sua bandeira.
O vermelho simboliza o sangue derramado por São Sebastião, padroeiro da cidade e do sangue derramado por Estácio de Sá, fundador da Cidade e pela defesa dos colonos, no Rio de Janeiro.

Significância na heráldica:
Prata branca (metal) – tradicionalmente simboliza a inocência, a pureza, a beleza, a castidade, a esperança, a vitória, sem sangue, e a paz sobre o inimigo.
Azul (Blau) – simboliza a justiça, lealdade, sabedoria, perseverança e vigilância.
Vermelho (Goles) – simboliza a valentia, a coragem, a nobreza, grandeza, coragem, honra e vitória, com sangue sobre o inimigo.

10. Bandeira de São Paulo, São Paulo
A bandeira da cidade de São Paulo, juntamente com o brasão e hino , constituem os símbolos do município de São Paulo . A bandeira paulistana é retangular branca, nas proporções de 14:20 (altura:comprimento) e traz a Cruz da Ordem de Cristo em vermelho em braços alargados e ostenta o brasão do município no centro sobre círculo de branco que está debruado de vermelho.

Foi instituída em 5 de março de 1987 pelo prefeito Jânio Quadros através da lei 10.260, sendo posteriormente regulamentada através do Decreto nº 23668/1987 e alterada pelas leis lei nº 13331/2002 e nº 14.472/2007, mas sempre mantendo o formato original. Antes dela, a bandeira era toda branca com o brasão da cidade ao centro.

A atual composição da bandeira, das cores utilizadas e seus significados são dados pelo artigo 6º da lei nº 14.472/2007. Essa mesma lei, também consolida a legislação municipal sobre honrarias e símbolos, como brasão e o hino.

Significado
O branco simboliza a paz, a pureza, a temperança, a verdade, a franqueza, a integridade, a amizade e a síntese das raças que, amalgamadas, dão pujança à cidade de São Paulo, e a cor vermelha é indicativa de audácia, coragem, valor, galhardia, intrepidez, nobreza conspícua, generosidade e honra. A cruz evoca a fundação da Cidade à sombra do Colégio dos Padres Jesuítas e, por ser a da Ordem de Cristo, alude aos primórdios da colonização do Brasil, época em que surgiu São Paulo. É o círculo emblema da eternidade, afirmando ânimo de que se investem os munícipes de defender a perene posição de São Paulo como Capital e Cidade Líder de seu Estado.

A divisa NON DVCOR DVCO quer dizer "Não sou conduzido, conduzo", e valoriza a independência das ações desenvolvidas pela cidade e seu papel de liderança no estado e no país.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...